CEFALEIAS

A SPC

Caros Colegas,

Vive-se uma época inspiradora da história do estudo científico das cefaleias, na qual o conhecimento – ainda que limitado – que se adquiriu sobre a sua genética e fisiopatologia nas últimas 5 a 6 décadas já permitiu o desenvolvimento de grupos terapêuticos com alvos específicos e de elevada eficácia, quer no tratamento agudo, quer preventivo de algumas destas patologias. Tal facto, aliado ao incremento de novas indicações para fármacos já disponíveis, em cefaleias, permitiu-nos assistir, ao vivo, ao multiplicar de opções terapêuticas, nos últimos anos.

São inumeráveis os trabalhos de ciência básica – genómica, proteómica, metabolómica – que agora integram a nossa compreensão dos mecanismos de doença – e de saúde – destas patologias e nos permitem vislumbrar, no plano do nosso horizonte, a inclusão de inovadoras alternativas, a curto prazo. Adivinha-se um multiplicar de aplicações em patologias órfãs e raras, mas extremamente impactantes, até hoje sem terapêuticas dirigidas. Mais além, integrar-se-á a bioinformática e a inteligência artificial, destrancando-se infindas possibilidades no caminho inexorável para a verdadeira medicina personalizada. 

São tempos assombrosos, de grande entusiasmo para quem tem interesse por estas patologias, por estes doentes, pelo conhecimento que nos permitirá compreender e ajudar quem sofre de cefaleias. No entanto, o tempo presente, de tantas oportunidades, é desafiado por uma pandemia, que nos destabiliza e desorganiza, mas não pode desmotivar-nos. Ainda que o seu imperioso controlo possa ser um pretexto para a estagnação, o desafio é conseguir prosperar a vários níveis – na nossa visão, tal requer união, motivação e abrangência.

A proposta desta direção, espelhada no seu plano de ação, é ambiciosa, mas estratégica, visando três objetivos fundamentais:
1 – consolidar a posição da SPC como entidade credível de formação e divulgação de informação científica sobre cefaleias a parceiros estratégicos (SPN, APMGF, APED, SPMT, MiGRA, EHF, IHS, outros);
2 – facilitar e fomentar a formação diferenciada em cefaleias, tanto a nível clínico, como também a nível de investigação básica e/ou translacional junto de gerações de investigadores mais jovens, renovando e diferenciando a SPC;
3 – criar redes de colaboração nacional e internacional, a qualquer um destes níveis.

Pela equipa da Direção da SPC, apoiada por todos os elementos dos órgãos sociais e pela inestimável colaboração dos membros da comissão científica,

Raquel Gil-Gouveia
Presidente da SPC

PROGRAMA TRIÉNIO 2021 - 2024

FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA
  • Reunião ANUAL SPC, na PRIMAVERA / VERÃO

Formato: Reunião idealmente presencial (ou híbrida) de 1,5 a 2 dias duração com espaço para apresentação de casos clínicos, trabalhos de investigação em formato de comunicação oral e/ou poster, conferências e simpósios; discussão científica aberta a todos os neurocientistas e profissionais de saúde com interesse científico e/ou clínico em Cefaleias.

Objectivos: Divulgar a Investigação Nacional; Promover a discussão de Casos Clínicos / Situações especiais; Promover a formação avançada

  • CURSO AVANÇADO, ANUAL, no OUTONO / INVERNO

Formato: Curso presencial (ou virtual) de 1,5 a 2 dias duração, com sessões teóricas e teórico-práticas, de acordo com módulos temáticos. Dirigido a internos e jovens especialistas de neurologia, medicina geral e familiar, medicina interna, medicina do trabalho, especialistas em dor e outros, com interesse em avançar na sua formação sobre cefaleias

Objectivos: Formação avançada em Cefaleias (internos / jovens especialistas); Promover a interdisciplinaridade; Atualização terapêutica em Cefaleias

  • REUNIÃO INTERNATIONAL @ LISBOA HEADACHE TEASER

Formato: Reunião presencial de 0,5 a 1 dia de duração, em formato de debate competitivo e participado com presença nacional e internacional, aberto a neurocientistas e profissionais de saúde com interesse especial em cefaleias.

Objectivos: Promover o debate competitivo e interativo de temas polémicos, de fronteira ou de inovação com participação nacional e internacional, de forma a colocar Portugal no mapa das reuniões internacionais.

  • MEET THE ON-LINE HEADACHE EXPERT 365

Formato: Reunião on-line mensal (cada 3ª 6ªF às 5 pm) de 1 hora duração, em formato de discussão de casos reais e/ou dúvidas de diagnóstico, dirigido sobretudo a colegas de Medicina Geral e Familiar, mas aberto a qualquer clínico, mediante inscrição;

Objectivos: discussão de casos clínicos complexos ou dúvidas de manejo e/ou referenciação em casos de cefaleias, promover a proximidade entre colegas de MGF e de neurologia.

FORMAÇÃO INSTITUCIONAL EM CEFALEIAS
  • Promover o diálogo com o CONSELHO NACIONAL de ESCOLAS MÉDICAS

Com o objetivo de salientar a relevância da formação pré-graduada em Cefaleias e disponibilizar a SPC para desenvolver recursos educativos básicos e participar em eventos formativos organizados pela academia.

  • Promover a interação com o COLÉGIO da ESPECIALIDADE de NEUROLOGIA

Com o objetivo de advogar sobre a relevância das Cefaleias na formação de Neurologia e promover um currículo mínimo de formação em Cefaleias para Neurologistas.

INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NACIONAL

1 – PRÉMIOS SPC para os melhores trabalhos apresentados na Reunião anual.

2 – BOLSAS SPC de investigação e formação, atribuídas anualmente.

3 – PROGRAMA de FORMAÇÃO “OUTSIDE the BRAINBOX” dirigido a internos de neurologia com interesse em desenvolver capacidades em investigação básica, clínica ou translacional em cefaleias.

COLABORAÇÃO COM ASSOCIACÕES AFINS NACIONAIS E INTERNACIONAIS
  • Manter e fomentar a interação fundamental com a SOCIEDADE PORTUGUESA de NEUROLOGIA
  • Estreitar a colaboração com a ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA de MEDICINA GERAL e FAMILIAR
  • Promover a interação com outras sociedades Nacionais com interesse na área das Cefaleias, em particular a ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA para ESTUDO da DOR e a SOCIEDADE PORTUGUESA de MEDICINA DO TRABALHO
  • Manter e fomentar as interações e colaborações com Sociedades Internacionais, em particular a EUROPEAN HEADACHE FEDERATION, a LIFTING-THE-BURDEN e a INTERNATIONAL HEADACHE SOCIETY
PROMOÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS CLÍNICOS AOS DOENTES
  • Divulgar informação médica atualizada em cefaleias de forma credível, clara e sistematizada, tal como:

– Classificação Internacional das Cefaleias;
– Orientações terapêuticas para as Cefaleias Primárias;
– Orientações para Organização dos Serviços em Cefaleias;
– Orientações para a Abordagem do doente com Cefaleias no Serviços de Urgência.

  • Criar e manter um Registo Nacional de doentes com Cefaleias

Para sistematização da informação clínica e para-clínica com dados de vida real, sendo útil como ferramenta de investigação e de cooperação nacional e internacional;

  • Iniciar um diálogo com a ARS / DGS

Com os objetivos de melhorar as condições de acessibilidade, a equidade e gestão de recursos diagnósticos e terapêuticos e a qualidade dos serviços clínicos a doentes com cefaleias.

CONSCIENCIALIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
SOBRE AS CEFALEIAS

– Manter e desenvolver a colaboração essencial com a MiGRA (Associação nacional de doentes com enxaqueca e cefaleias) e EHMA (European Headache and Migraine Alliance)

– Promover a divulgação nacional e internacional da música “Migraine – what can’t you see?”

– Manter a visibilidade mediática da SPC

REJUVENESCIMENTO E PRESENÇA DIGITAL
DA SPC

– Restruturação da PÁGINA da INTERNET

– Presença ativa nas REDES SOCIAIS (Instagram, Twitter, Linkedin e Facebook)

– Motivar Internos e jovens Especialistas para a área